Menu

Diário de Riachão Diário de Riachão Author
Title: Bateria da Bambas da Orgia levanta o público no desfile de Porto Alegre
Author: Diário de Riachão
Rating 5 of 5 Des:
CARNAVAL 2012  - PORTO ALEGRE A última escola a desfilar na primeira noite do Grupo Especial de Porto Alegre pisou no Porto Seco às 5h05...
CARNAVAL 2012  - PORTO ALEGRE
A última escola a desfilar na primeira noite do Grupo Especial de Porto Alegre pisou no Porto Seco às 5h05 deste sábado (18) e mostrou o samba-enredo “Dos cerros do solo gaúcho nasce a Rainha da Fronteira. Bagé, um salto para o futuro”. A entrada da escola na pista do Porto Seco foi marcada por um grande número de fogos e rojões. O abre-alas “Nasce a Rainha da Fronteira” trouxe o símbolo da escola: uma águia de 450 kg confeccionada com 1,6 mil penas de alumínio. O carro contou ainda a história do índio Ypagé e trouxe o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. A parte de trás da alegoria mostrou o negro quando chegou da África e que contribuiu para o surgimento da cidade de Bagé.

Comissão de frente da Bambas da Orgia, última escola a desfilar (Foto: Cristine Rochol/PMPA)
 

A escola, fundada em 1940, contou com 1,8 mil componentes em 18 alas e cinco alegorias. O carnavalesco da escola, Gilson da Silva ‘Giguili’, tem como característica trabalhar a parte da frente e de trás dos carros. Cerca de 10 ônibus de Bagé levaram moradores até o Porto Seco para desfilar na escola.

Bambas da Orgia contou com alguns diferenciais na avenida. A bateria da escola deu show, fazendo uma evolução diferente e interagindo com o público. Os componentes dançaram guiados pela madrinha Kiriá e o mestre Estevão. O público foi ao delírio. A escola conta com duas mulheres em postos normalmente ocupados por homens: a presidente da escola é Rosalina Conceição e Marguerite Silva Santos faz parte do grupo de apoio da harmonia.

Coreografia e paradinha da bateria encantaram o
público no Porto Seco (Foto: Cristine Rochol/PMPA)

“As ruínas do Forte Santa Tecla e o Vilarejo Ipagé”, segunda alegoria, trouxe uma réplica do local, onde ocorreram revoluções e batalhas entre europeus e indígenas. O terceiro carro da escola, “As tradições de Bagé”, representa a evolução da história de Bagé: a agricultura e a pecuária, bases da economia local, e as raízes do tradicionalismo. A alegoria tinha música gaúcha tocando em seu interior em ritmo de samba. Os componentes estavam vestidos com roupas típicas da cultura gaúcha.

O quarto e penúltimo carro, “Das mãos do escritor emana cultura”, presta uma homenagem ao escritor Pedro Wayne, que tem seu nome na Casa de Cultura da cidade. A alegoria representa ainda o Grupo Bagé, formado por renomados artistas plásticos, e o futebol, que tem sua representação através do jogador de Bagé, tetra campeão, Branco e do clássico Ba-gua (formado pelos times Bagé e Guarani). O famoso personagem de Luis Fernando Verissimo, “Analista de Bagé”, vem representado no centro do carro. O poeta Luiz Coronel, nascido em Bagé, foi destaque na alegoria.

O último carro, “A realidade de um futuro promissor”, representa o promissor futuro da cidade, que atualmente conta com um centro universitário e um distrito industrial. Por ter um ramal ferroviário para o Porto de Rio Grande e pelo ponto estratégico de sua localização, Bagé é considerada o coração do Mercosul.

G1
Reações:

Sobre o Diário de Riachão

Publicidade

Postar um comentário Blogger

Comente esta notícia

 
Top