Menu

Diário de Riachão Diário de Riachão Author
Title: Caso pitbull: PC vai investigar ‘ataque’ em criança de 4 anos em João Pessoa
Author: Diário de Riachão
Rating 5 of 5 Des:
Policial O estado de saúde da menina de 4 anos atacada por pitbulls na madrugada de ontem continua grave, porém estável, de acordo com o...
Policial

O estado de saúde da menina de 4 anos atacada por pitbulls na madrugada de ontem continua grave, porém estável, de acordo com o boletim do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. O incidente aconteceu na comunidade Laranjeiras, no José Américo, na Capital.

O Conselho Tutelar da região Sudeste esteve no local na manhã de ontem para investigar as causas do acidente e verificou contradições na história contada por familiares. A conselheira tutelar Katiana Araújo informou que o caso será investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Infância e Juventude. Até o fechamento desta edição, os animais não haviam sido encontrados.
De acordo com Katiana, os vizinhos da família da menina não quiseram dar maiores informações, o que dificultou o trabalho do Conselho Tutelar. Ela disse que os familiares alegaram que dois cachorros da raça pittbull apareceram de repente e atacaram a criança, que estava no colo de uma pessoa. “A vizinhança não cooperou e foi bastante difícil encontrar o endereço da menina. Ninguém quis comentar o assunto. A informação que temos é que os cachorros apareceram e atacaram, mas ninguém viu de onde vieram e nem para onde fugiram e, até agora, não foram encontrados”, disse.

Para ela, há contradições na história relatada pelos familiares e que o caso agora será investigado pela Polícia Civil. “A criança estava no colo de uma pessoa quando foi atacada, mas essa pessoa não tem nenhum ferimento, nem um arranhão. Agora a polícia irá investigar o que realmente aconteceu e, caso seja comprovada a negligência, o Ministério Público irá tomar as devidas providências”, afirmou. Katiana também visitou a vítima, que continua internada em estado grave. “A médica informou que o quadro dela é grave, mas está estável”, contou.

“Cão é dócil e usado com crianças especiais”

O responsável pelo Canil da Polícia Militar, capitão Mailson Cordeiro, destaca a importância do adestramento e de uma rotina de exercícios físicos para os cães da raça pitbull como forma de evitar ataques. Segundo ele, o pitbull é uma raça muito ativa e que é preciso liberar essa energia. “Os cães, não apenas pitbulls, devem ter uma rotina de exercícios e os donos precisam passear com eles para que a energia seja liberada. Os cães confinados acumulam energia e podem ficar agressivos”, explicou.

A socialização do animal também é importante. Mailson indica que, ainda filhote, o cão deve ter contato com outros animais, com adultos e crianças. “O cachorro que não tem contato com crianças, por exemplo, ao vê-la pode achar que é um bicho para caçar, por isso que é essencial que o dono caminhe e apresente o cão à sociedade, para ele se acostumar com as pessoas. O adestramento também é fundamental, para maior controle e compreensão do animal”, afirmou.

Para Mailson, no caso de ataque, os donos que devem ser punidos. “No canil da polícia temos quatro pitbulls e eles são os mais dóceis e sociáveis. O cachorro só ataca se não tiver a socialização e os cuidados adequados. Inclusive, já usamos um pitbull para as sessões de cinoterapia com crianças especiais. Lá elas puxavam a orelha, apertavam e o cão não esboçava nenhuma agressividade”, contou.

Mailson explicou que, com duas a três semanas de adestramento, o cão já apresenta melhorias no comportamento. Ele informou que a média cobrada pelos profissionais é de R$ 30 a R$ 50 por aula.

Portal Correio
Reações:

Sobre o Diário de Riachão

Publicidade

Postar um comentário Blogger

Comente esta notícia

 
Top