Menu

O Diário de Riachão O Diário de Riachão Author
Title: Jovem pede socorro para se tratar das drogas em Solânea
Author: O Diário de Riachão
Rating 5 of 5 Des:
A história se repete como muitas outras, é o caminho de vários jovens na nossa região. Muita curtição através de festas com amigos e quando ...
A história se repete como muitas outras, é o caminho de vários jovens na nossa região. Muita curtição através de festas com amigos e quando menos espera se envolve com as drogas, você não percebe que o perigo se aproxima. Na maioria das vezes por curiosidade, influência e também por fácil acesso. Nas comunidades de pequenas cidades do Brejo e Curimataú, muitos rapidamente se envolvem com as drogas. Elas trazem uma falsa satisfação e muito prejuízo, como também a dependência psíquica e física.

Um jovem viciado em álcool e que já cheirou cola, usou maconha e crack e reside no município de Solânea, no Brejo paraibano, pede ajuda para se livrar do vício. Ele já fez de tudo para se livrar do vício e consome drogas desde 1994, segundo o jovem quando usa a droga especificamente o Crak, tem apenas alguns segundos de felicidade depois vem à depressão mau estar e muito cansaço. Entrevistado pelo Diário do Brejo, o jovem das iniciais J.E.S de 39 anos, perdeu o controle e precisa de ajuda. Ainda não há registros de mortes pelo uso da droga nos hospitais da região, mas ela está presente e afeta a toda comunidade direta ou indiretamente.

O crack é uma das drogas mais consumidas e perigosas, é produzido através da mistura de cocaína, bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada estas nos grandes centros. Mas aqui no Brejo uma região pobre do interior da Paraíba o consumo é devido ao menor preço e ao efeito rápido que a droga faz. O crack altera quimicamente uma parte do cérebro chamada Sistema de Recompensa e leva aproximadamente 10 segundos para o início da euforia, da sensação de prazer, da aceleração da respiração e dos batimentos cardíacos. Em alguns minutos, a droga perde o efeito, causando um sentimento de depressão e de “fissura” por novas doses. Depois de um certo tempo de uso, as quantidades da droga vai aumentando, porque o usuário se torna mais dependente. O tempo que leva uma pessoa a se viciar varia de acordo com cada organismo, nem todos reagem da mesma maneira com o uso prolongado.

Da redação
diariodobrejo.com
Reações:

Sobre o Diário de Riachão

Publicidade

Postar um comentário Blogger

Comente esta notícia

 
Top