Menu

O Diário de Riachão O Diário de Riachão Author
Title: Criança de 4 anos morre repentinamente; família culpa creche
Author: O Diário de Riachão
Rating 5 of 5 Des:
Uma menina de 4 anos morreu na madrugada desta terça-feira em Carapicuíba, na grande São Paulo. A família suspeita que Yasmin Vitória Leite...
Uma menina de 4 anos morreu na madrugada desta terça-feira em Carapicuíba, na grande São Paulo. A família suspeita que Yasmin Vitória Leite da Silva tenha inalado gás decorrente de um vazamento dentro da creche municipal em que estudava, no bairro Jardim D’Abril, em Osasco.

De acordo com o Boletim de Ocorrência da Polícia Civil, registrado às 4h, Yasmin voltou para casa por volta das 17h da última segunda-feira, após passar o dia na unidade de ensino Lidia Thomaz.

À mãe, inicialmente, a menina se queixou de dores na garganta. Horas depois, às 23h, passou a vomitar um líquido que parecia um “catarro amarelado” e a ter dificuldades em respirar. Nesse momento, o tio dela, Ericksson Leite, foi chamado pela mãe de Yasmin. Eles a socorreram ao hospital Alpha Med, em Carapicuíba, mas a menina não resistiu. O óbito foi registrado às 2h.

Conforme relatado na guia de encaminhamento de cadáver, a vítima possuia “história agura de dispneia, sialorreia, hipersecreção e cianose”. Há suspeitas de que a causa da morte seja ou pneumocopatia aguda ou intoxicação exógena. A mãe de Yasmin contou à polícia que a filha sofria de sinusite e bronquite.
Cartaz alertando sobre vazamento de gás e suspendendo as aulas teria sido afixado em frente à creche Lidia Thomaz nesta terça-feira; “Ordens da Secretaria”
Foto: Facebook / Reprodução

A família acredita que a criança tenha morrido após inalar gás na última segunda-feira. “A creche afixou no muro um cartaz informando que, por um vazamento de gás, não haveria aula terça-feira, justamente um dia antes do ocorrido”, afirmou o tio Ericksson Leite da criança ao Terra. “Agora ficamos no aguardo do laudo do Instituto Médico Legal (IML), que deve demorar 40 dias para ficar pronto”, concluiu

Leite espera que a ida prematura da menina sirva, pelo menos, de alerta a outras famílias e também para que fatos como este não se repitam. “Peço a vocês que repassem esta informação a mães e país que possuem filhos nesta unidade. Levem seus filhos ao médico”, suplicou no Facebook.

Secretaria de Educação de Osasco nega vazamento
Procurada pelo Terra, a Secretaria de Educação de Osasco, por meio de assessoria de imprensa, desmentiu que tenha havido qualquer vazamento de gás na creche Lidia Thomaz e se defendeu afirmando que a menina possuía histórico de problemas respiratórios. O órgão garantiu, ainda, que a escola foi submetida a perícia: “nada de anormal foi constatado”. Dado o horário, a informação não pôde ser confirmada pela reportagem junto à Polícia Civil. A unidade de ensino não atendeu as ligações.

Terra
Reações:

Sobre o Diário de Riachão

Publicidade

Postar um comentário Blogger

Comente esta notícia

 
Top