Menu

Diário de Riachão Diário de Riachão Author
Title: Psiquiatra alerta que época de fim de ano pode ser mais propensa a depressão
Author: Diário de Riachão
Rating 5 of 5 Des:
Os últimos meses do ano sempre trazem um clima diferente na população. Porém, não é necessariamente um clima alegre e feliz, como muitos...
Os últimos meses do ano sempre trazem um clima diferente na população. Porém, não é necessariamente um clima alegre e feliz, como muitos deixam transparecer. De acordo com o psiquiatra e psicanalista Antônio Viola, as pessoas fazem um balanço das metas alcançadas e o confronto entre expectativa e realidade pode dar aquele aperto no peito, o que ele chamou de “crise de fim de ano”.

Ele afirma que a ansiedade e a depressão, na verdade, podem ocorrer o ano todo. Porém, de acordo com ele. existem mais gatilhos no fim do ano. “Aumenta muito o movimento no consultório no último trimestre, principalmente por ser um período de reflexão, quando ocorre uma idealização das relações. Todos se deparam com objetivos não concretizados e, ao fazer um balanço do ano e projetar planos, aumenta a ansiedade. A época também intensifica o convívio com familiares, o que traz à tona conflitos do passado”, explica.

Uma das pessoas que corroboram esta tese do psiquiatra Antônio Viola, é a vendedora Cássia Sousa. Ela afirma que normalmente esta época é um período triste e que neste ano vai ser ainda mais.

“Este ano está muito mais triste do que o normal, porque faz um ano da morte da minha sogra. E fico triste também pelos parentes que já foram. A única coisa boa foi o nascimento da minha neta”, disse.

Já a estudante Juliana Souza, de 23 anos, não acredita neste tese e trata esta época do ano como a mais feliz.

“Em relação ao ano passado estou muito mais feliz. Mas normalmente eu fico feliz, porque é uma época que a gente pode passear, gastar, aí fica mais feliz”, afirmou.

Para o psiquiatra, a tristeza, além da saudade dos entes queridos que já morreram, a frustração de não ter conseguido cumprir o que esperava para o ano.

“Segundo a minha experiência, as pessoas, em geral, não sabem bem o que querem. Isso leva a uma renovação dos desejos. Então, mesmo quando atingem o objetivo, não ficam satisfeitas e sempre buscam alguma coisa, mas esse ideal nunca se realiza. É o mal pós-moderno da insatisfação constante”, apontou.

Antônio recomenda que as pessoas procurem ajuda médica, caso notem que a tristeza e desânimo já passou do considerado normal.

“A depressão é a tristeza que persiste, traz prejuízo para o trabalho, para as relações, podendo gerar insônia, perda de apetite e até crise de choro. Quando a tristeza não passar por um mês, é indicado buscar ajuda médica”, finalizou.

PORT. COR.
Reações:

Sobre o Diário de Riachão

Publicidade

Postar um comentário Blogger

Comente esta notícia

 
Top